top of page
shutterstock_631636766_edited_edited_edited.jpg

Rebranding: desvende o que é e quando usar essa estratégia

Com o passar do tempo, os elementos que compõem a identidade de uma marca de sucesso podem sair de moda e se tornarem ultrapassados, fazendo com que a marca precise se reinventar. Quer um exemplo bem claro disso?


Pense nos comerciais de cerveja. Você deve ter notado que já faz alguns anos que deixamos de ver mulheres estereotipadas de biquíni servindo cerveja à beira de uma praia nesses comerciais.


Mudanças como essas acontecem porque a percepção do público a diferentes conceitos está sempre evoluindo, e quem não se adapta corre o risco de perder espaço para a concorrência. É aí que entra a necessidade do rebranding.


Em termos simples, rebranding é o processo de dar uma “repaginada” na marca. Isso pode incluir mudanças de slogan, logo ou design de embalagem, até transformações mais complexas, como o próprio nome da marca.


Mas existem vários motivos que levam uma marca a se reinventar, e abaixo listamos os principais, para que você possa entender melhor quando é o momento certo para passar pelo rebranding:


#1 Quando a imagem da marca está prejudicada

Esse é o caso das marcas de cerveja, que precisaram mudar seu posicionamento quando passaram a ser associadas em larga escala à objetificação do corpo feminino.

Mas também pode acontecer quando a reputação da marca fica manchada por outros aspectos, como a baixa qualidade no atendimento ou nos próprios produtos.


#2 Quando a marca está desatualizada

Para manter a competitividade, também é importante manter a capacidade de chamar a atenção do público.

Uma proposta mais moderna de logo e slogan, por exemplo, podem gerar um impacto positivo nesse aspecto, demonstrando o comprometimento em acompanhar a evolução do mercado.


#3 Quando a marca está em processo de expansão

O rebranding também precisa ser considerado ao expandir o negócio para novas áreas de atuação ou novos mercados.

Afinal, é necessário que a marca comunique com clareza o que ela oferece, e quando temos a inclusão de novas atuações, essa comunicação precisa ser atualizada.


Mas fique atento: nem sempre os resultados do rebranding saem exatamente como planejado!


Um exemplo recente disso foi a controvérsia acerca da repaginação da identidade visual do Nescau, que lançou uma nova embalagem com 15% menos metal e uma proposta esteticamente minimalista.


Apesar da estratégia trazer uma pegada ambientalista positiva, a mudança na embalagem também gerou muita reação negativa nas redes sociais, principalmente por envolver laços emocionais entre o público e marca, geralmente cultivados desde a infância.


Por isso, além de entender qual é o momento ideal para o rebranding, também é muito importante saber como fazê-lo. E isso inclui uma série de elementos-chave que precisam ser considerados para manter uma transição suave e eficaz:


#1 Compreensão do público-alvo e persona do cliente

Conhecer seu público a fundo, suas necessidades, desejos e comportamentos é vital para ajustar sua estratégia de marca de maneira atraente.


#2 Coerência e continuidade

É preciso manter a consistência entre a identidade antiga e a nova para evitar confusões e garantir que os clientes antigos ainda reconheçam e se conectem com a marca.


#3 Marketing estratégico

Isso inclui uma comunicação abrangente para informar os clientes sobre as mudanças, garantir que compreendam a razão por trás do rebranding e ajudá-los a se envolver com a nova identidade da marca.


Ou seja, o rebranding requer cuidado com o impacto total que terá em todos os aspectos do seu negócio, mas quando é feito do jeito certo, pode ser uma estratégia poderosa para manter uma marca relevante e competitiva em um ambiente empresarial em constante evolução ;)

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page